O homem sempre usou do reino vegetal para sua sobrevivência. As plantas possuem substâncias químicas que  curam dores físicas e psicológicas. Mas podem promover sensações quando em forma de xícara de chá: carinho, cuidado, afeto, amizade. O ato de beber um chá pode ser uma experiência de degustação, uma escolha terapêutica ou simplesmente um ato social.

O que é a consulta fitofarmacêutica

O farmacêutico é um profissional de saúde que possui conhecimento sobre o tratamento das doenças. Pode ajudar na orientação do uso adequado dos medicamentos entre eles os fitoterápicos e as plantas medicinais. Para realizar esse atendimento precisa se especializar nessa área de atuação.

Por sua experiência e formação, nossa farmacêutica oferece esse serviço. Um atendimento que envolve um acolhimento em ambiente adequado, presencial ou virtual. Ela ouvirá as necessidades de cada paciente e buscará orientar sobre o melhor tratamento fitoterápico, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida e da integralidade das ações de saúde.

Quais os benefícios do serviço?

  • Educação em saúde: fornecimento de informações que tem por objetivo mudar comportamentos, fortalecendo a fitoterapia, e suas formas de uso das plantas medicinais.
  • Promoção do uso racional de medicamentos a base de plantas ou fitoterápicos: informar como , quanto, para que,  quando parar, como parar, e o tipo de medicamento em uso, para aumentar a adesão e sucesso terapêutico, com menor reações adversas.
  • Autocuidado ou automedicação orientada: ajuda ao paciente para escolha de medicamentos fitoterápicos para doenças já diagnosticadas ou sintomas menores.

Quer agendar um atendimento fitofarmacêutico, entre em contato.

Hora do Chá

“É o que faz um dia ser diferente dos outros dias, uma hora ser diferente das outras.”

Antoine de Saint Exupéry

Encontro. Isso que nos motiva a criar esse momento para reunir pessoas numa atmosfera de amizade, alegria, leveza e prazer. O motivo pode ser para cuidar, aprender, socializar, experimentar ou simplesmente socializar. Em torno de uma mesa de chá com deliciosos acompanhamentos.

Quem toma um chá tem sempre uma história pra contar. Alguém fala de lá, outro escuta de cá. Muita informação acontece numa mesa de chá.

Nossos eventos não são fixos. Acontecem em parcerias, e em locais agradáveis. Acompanhe nossa agenda de eventos e na deixe de participar da Hora do Chá sempre que puder.

No momento, em função do isolamento social, faremos no formato virtual! Clique aqui e saiba quando.

“O cuidado é a alma dos serviços de saúde”

As plantas medicinais e seus derivados estão entre os principais recursos terapêuticos da MT/MCA e vêm, há muito, sendo utilizados pela população brasileira nos seus cuidados com a saúde,seja na Medicina Tradicional/Popular ou nos programas públicos de fitoterapia no SUS, alguns
com mais de 20 anos de existência

O termo fitoterapia foi dado à terapêutica que utiliza os medicamentos cujos constituintes ativos são plantas ou derivados vegetais, e que tem a sua origem no conhecimento e no uso popular. As plantas utilizadas para esse fim são tradicionalmente denominadas medicinais (DE PASQUALE,1984)

A seleção de espécies vegetais para estudo farmacológico pode ser baseada no seu uso tradicional por sociedades tradicionais, no conteúdo químico e toxicidade, na seleção ao acaso ou pela combinação de vários critérios.

A Organização Mundial da Saúde recomenda que tanto as políticas nacionais como a regulamentação para os produtos oriundos das práticas tradicionais contemplem, entre outros, os conceitos de medicina tradicional e medicina complementar/alternativa. Em seus documentos, considera medicina tradicional como o “conjunto de conhecimentos, habilidades e práticas
baseados em teorias, crenças e experiências indígenas de diferentes culturas, explicáveis ou não, utilizadas na manutenção da saúde, tão bem quanto em prevenções, diagnósticos ou tratamentos de doenças físicas e mentais”. Já a medicina complementar/alternativa frequentemente se refere
ao conjunto de práticas de cuidado em saúde que não são parte da tradição própria do país e não são integradas dentro do sistema de saúde dominante. Outros termos algumas vezes usados para essas práticas de cuidado incluem “medicina natural”, “medicina não convencional” e “medicina holística” (WHO, 2005).

• Planta medicinal: espécie vegetal, cultivada ou não, utilizada com propósitos
terapêuticos (BRASIL, 2009);
• Fitoterápico: produto obtido da planta medicinal, ou de seus derivados, exceto substâncias isoladas, com finalidade profilática, curativa ou paliativa (BRASIL, 2009);
• Medicamento fitoterápico: todo medicamento obtido empregando-se exclusivamente matérias-primas ativas vegetais. É caracterizado pelo conhecimento da eficácia e dos riscos de seu uso, assim como pela reprodutibilidade e constância de sua qualidade. A sua eficácia e segurança são validadas por meio de levantamentos etnofarmacológicos de utilização,
documentações tecnocientíficas ou evidências clínicas. Não se considera medicamento fitoterápico aquele que, na sua composição, inclua substâncias ativas isoladas, de qualquer origem, nem as associações destas com extratos vegetais (BRASIL, 2010)