PaisagismoProjeto Sementinha

Nossa Especialidade: Paisagismo Infantil

Por 27 de novembro de 2017 junho 21st, 2020 Sem comentários

O paisagismo procura atender aos desejos e necessidades de quem irá usufruir daquele espaço, fazendo com que as pessoas se sintam valorizadas e desfrutem de bem-estar. Vivenciando o universo infantil, percebemos que existe uma desvalorização dos ambientes externos  da maioria das escolas de educação infantil sob esse aspecto. Assim, pesquisamos e especializamos em projetos onde colocamos a criança no centro das ações a serem criadas.

No ambiente educacional a criança é o sujeito/objeto. Sendo assim, a integração do espaço físico, o projeto pedagógico e o desenvolvimento infantil  precisam ser pensados de forma interdisciplinar para garantir e promover um ambiente lúdico, dinâmico, vivo, brincável, explorável, transformável, acessível e criativo .

A imaginação depende da riqueza e da diversidade de experiências anteriores do ser humano, pois a experiência é a base para a construção da fantasia. Assim, quanto mais rica for a experiência humana, tanto maior será o material de que dispõe essa imaginação. Em outras palavras, quanto mais a criança experimentar, mais ela será capaz de imaginar.

Através da natureza vários valores poderão ser ensinados ás crianças de forma mais lúdica: respeito ás plantas e ás diferenças  dos seres vivos, responsabilidade no cuidado ( plantas sem água podem morrer, por isso a rega é uma rotina essencial!), paciência para esperar o desenvolvimento de uma semente, e nesse caso também o conhecimento sobre o ciclo de vida. Tudo isso poderá ser vivenciado fora dos livros, ou seja, no próprio quintal da escola. Já pode-se iniciar assim uma conscientização ambiental através dessas pequenas ações.

Desenvolvemos para os ambientes de educação ou recreação infantil projetos paisagísticos que inserem vários elementos e vegetação, e também os diferentes tipos de recobrimento do solo, como areia, grama, terra e caminhos pavimentados, sem excluir os parquinhos e playgrounds. A ideia é sensibilizar através de brincadeiras ricas, educativas e estimulantes com base no conhecimento do meio ambiente imediato. A proposta paisagística contudo considera os parâmetros nacionais de infra-estrutura nas instituições de Educação Infantil (0 a 6 anos) , orientados pela Secretaria de Educação Básica em consonância com o MEC, destinados á esse público.  As áreas de brincadeira deverão oferecer segurança, sem serem limitadoras das possibilidades de exploração do universo infantil (BRASIL, 2006).

Na concepção do projeto paisagístico é preciso refletir sobre o momento de desenvolvimento da criança para organizar as áreas de recreação. À medida que ela vai crescendo, esses ambientes poderão ir se expandindo, favorecendo a exploração e o desenvolvimento físico-motor. Sob essa ótica, é importante que nas áreas externas se considere também a escala da criança, suas relações espaciais e sua capacidade de apreensão desse contexto, promovendo a orientação espaço-temporal e a segurança e encorajando as incur­sões pelas áreas livres.

Várias elementos paisagísticos com formato lúdico usamos no desenvolvimento do paisagismo infantil:

1- Jardins e trilhas sensoriais: A natureza pode favorecer o desenvolvimento dos sentidos. As crianças podem observar as formas, tamanhos e cores das folhas e flores, sentir as texturas e provar dos frutos.

2- Horta de espécies alimentícias, aromáticas e medicinais: Podemos introduzir nos espaços destinados a horta elementos para torná-la mágica aos olhos de uma criança. Vários aspectos podem ser usados na composição e seleção das espécies a serem cultivadas na horta: cores, cheiros, formas. Os elementos que podem ser construídos também podem divertir. Qual criança não adora brincar de cabaninha ou correr por entre túneis.  Uma proposta de cabana, tipo teepee, pode ser entrelaçada por feijões, ervilhas e tomates.

E o acompanhamento do crescimento dos alimentos pode favorecer e despertar uma nutrição mais saudável. Estudos realizados na Universidade da Flórida mostram que as crianças que envolvem-se com jardinagem consomem 15% mais frutas e legumes das que não tem noção de como o alimento chega ao prato.

 

As plantas com propriedades medicinais precisam ser do conhecimento das crianças. A própria tradição popular passada de pai par filho pode ser resgatada num trabalho que envolve avós, pais, professores e as crianças nesse aprendizado escolar. Identificar pelo cheiro ervas que podem ser usadas em tratamentos respiratórios, pode ajudar a criança a aceitar melhor tratamentos complementares.

 

3-Compostagem: A conscientização da importância de reduzir e transformar o lixo orgânico deve começar desde cedo. Com a finalidade de educar crianças a respeito do tema, sugerimos a inserção de uma composteira . Esse será um ótimo instrumento para educar crianças a respeito do tema e do processo como um todo.

A valorização dos espaços de recreação e vivência nos espaços infantis podem incrementar a interação das crianças e melhorar a qualidade do ambiente escolar, de forma a promover uma formação mais ética e comprometida.Esse é nosso ideal!

Deixe uma resposta

WhatsApp
Posso te ajudar?
Powered by